terça-feira, 16 de agosto de 2016

Treinamento vocal

Primeiro workshop: Dia 10 de setembro, às 16:00
Local: Av. José Mana Junior, 400 - Trindade - São Gonçalo - RJ
Acesse: cantolivremusica.blogspot.com

INSCRIÇÕES AQUI

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O Deus Criador e a criatividade humana - parte 1

Luciano Motta

Em geral, os estudos teológicos não listam a criatividade de Deus junto com Seus atributos: amor, bondade, justiça, etc. Porém, cada detalhe da criação evidencia que tudo foi feito a partir da essência do Criador: "Ele fez a terra pelo seu poder; estabeleceu o mundo por sua sabedoria e com a sua inteligência estendeu os céus" (Jeremias 51.15). Criar foi e continua sendo uma ação soberana de Deus, uma iniciativa da Sua vontade – e sabemos que a Sua vontade é sempre "boa, agradável e perfeita" (Romanos 12.2).

Mas o homem caído tende a se afastar cada vez mais do Criador. Conceitos científicos como o do "Big-bang" e a própria ideia de "Natureza" situam tudo o que existe como obra do acaso, ou seja, um desdobramento "natural", involuntário, não proposital, de eventos e transformações biológicas, geográficas, climáticas... Mas pense bem: você já viu alguma explosão que produza ordem? Imagine a explosão de um carro, as peças voando para todos os lados, a lataria se retorcendo, os circuitos sendo consumidos pelo fogo... Como poderiam se agrupar e formar um todo harmonioso?

O universo opera de forma meticulosamente organizada, orgânica, perfeita! O salmista não titubeia e reconhece: "Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos" (Salmo 19.1). Cada detalhe, cada estação, cada ciclo da vida apontam para os atributos do grande e magnífico Deus, o único que é Digno "de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas" (Apocalipse 4.11).

A criação do mundo

É muito difícil falarmos da criação e não nos reportarmos ao livro de Gênesis: "No princípio criou Deus os céus e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas. Disse Deus: Haja luz; e houve luz. E viu Deus que a luz era boa..." (Gênesis 1.1-4). Há um refrão nesse capítulo que aponta a essência do próprio Deus: “Viu... que era bom”. Ele é bom. Sua criação é boa.

Deus fez tudo pela palavra do Seu poder: "Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus, de maneira que o visível não foi feito do que se vê" (Hebreus 11.3). Outra passagem afirma que Deus "vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem" (Romanos 4.17). Veja que tudo foi criado a partir do que não se vê e do que não existe. Normalmente, para produzir sua obra de arte, um artista depende de um objeto-referência, de um cenário ou panorama – alguns se baseiam naquilo que a imaginação é capaz de conceber. Mas as referências do Criador foram Seus próprios atributos, começando de Sua própria luz. As trevas sobre a face do abismo se dissiparam pela luz de Sua essência.

A partir daí, tudo foi tomando forma, ganhando massa e consistência: "Povoem-se as águas de enxames de seres viventes; e voem as aves sobre a terra, sob o firmamento dos céus... Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selváticos, segundo a sua espécie" (Gênesis 1.20,24). Os céus e a terra foram cheios de seres viventes.

Cientistas fizeram novos cálculos em 2011 sobre a quantidade de espécies que existem na Terra: cerca de 8,7 milhões (com uma "margem de erro" de 1,3 milhão a mais ou a menos), sendo que a grande maioria desses seres sequer foi classificado ou descoberto! Considerando apenas os insetos, sabe-se da existência de aproximadamente 1 milhão de espécies (só do tipo moscas, abelhas, borboletas e formigas são mais de 800 mil espécies diferentes). Tudo isso é assombrosamente bom!

Uma obra criativa do Pai, do Filho e do Espírito Santo

Muitos ignoram este fato: a criação foi uma obra de Elohim, o Deus-Trino. Ao ordenar "Haja luz", estava lá o Verbo de Deus: Jesus Cristo. O apóstolo João reconheceu a presença do Filho na ação de criar: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez" (João 1.1-3). O apóstolo Paulo também teve essa revelação: "[Jesus] é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste" (Colossenses 1.15-17).

O Espírito Santo também estava presente na criação – e ainda continua trabalhando na renovação da vida na terra. Os salmos declaram: "Os céus por sua palavra se fizeram, e, pelo sopro (ruwach) de sua boca, o exército deles. Ele ajunta em montão as águas do mar; e em reservatório encerra as grandes vagas. Tema ao Senhor toda a terra, temam-no todos os habitantes do mundo. Pois ele falou, e tudo se fez; ele ordenou, e tudo passou a existir" (Salmo 33.6-9). "Que variedade, Senhor, nas tuas obras! Todas com sabedoria as fizeste; cheia está a terra das tuas riquezas... Envias o teu Espírito (ruwach), eles são criados, e, assim, renovas a face da terra" (Salmo 104.24,30).

No momento da criação do homem, houve uma reunião: "Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou" (Gênesis 1.26-27). Somos uma obra de arte de Deus, criados à imagem e semelhança do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Eis a complexidade humana:

O DNA nas nossas células é muito similar a um complexo programa de computador. Um programa de computador é feito de uma sequência de 1 e 0 (chamado código binário). A sequência e a ordem desses 1 e 0 é o que faz que o computador funcione corretamente. Da mesma maneira, o DNA é feito por quatro compostos químicos, abreviados pelas letras A, T, G, C. Muito parecido com os 1 e 0, essas letras são arranjadas nas células humanas CGTGTGACTCGCTCCTGAT e assim por diante. A ordem que elas se arranjam instruem as ações das células.

O que é extraordinário é que, num pequenino espaço de cada célula no seu corpo, esse código é uma sequência de três bilhões de letras.

Para entender a quantidade de informação do DNA de uma célula, uma pessoa, lendo o código numa taxa de 3 letras por segundo, levaria trinta e um anos, e ainda continuaria lendo dia e noite. Espere, tem mais. Foi determinado que 99,9% do seu DNA é similar a composição genética de todos. O que faz de você único é a pequena diferença em como essas três bilhões de letras estão sequenciadas nas suas células. (extraído do artigo "Deus é real?")

Se Deus nos criou de forma tão peculiar, colocando em cada um de nós capacidades e habilidades extraordinárias, à Sua imagem e semelhança, certamente Ele tem expectativas quanto ao que temos feito com nosso potencial criativo. Às vezes somos tomados do sentimento oposto – nós esperamos que Deus faça o que, na verdade, Ele está esperando de nós! O Criador é Ele! O Senhor da nossa vida é Ele! O que temos feito com nosso potencial criativo?

Confira a parte 2