terça-feira, 9 de dezembro de 2014

"Uma nova ordem de sacerdotes"

ESCOLA DE ORAÇÃO BETÂNIA 2014
Síntese da palavra de sábado, 06/12 - Kirk Bennett

Êxodo 19.5-6 trata de um dos maiores desejos de Deus. Ele tem muitos caminhos, muitos nomes. Existem muitas maneiras de se aproximar Dele, muitos aspectos de Sua natureza para se conhecer Dele. Esse texto é uma porta de entrada para conhece-Lo de uma forma mais profunda.

“Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança” – Deus está falando com todo o povo, não só com Moisés. Obediência tem a ver com ouvir, seguir a voz de Deus. Nós vamos ouvir a Sua voz. Isso é mais do que cumprir mandamentos. A aliança está relacionada à intimidade – o mesmo nível de aliança de pessoas que ficam noivos (ver Jeremias 33.10-11).

São duas condições: Sua voz e Sua proposta de casamento. Se respondermos sim, seremos: “propriedade peculiar dentre todos os povos da terra” – um tesouro especial, o presente mais especial que um rei poderia ter. A primeira palavra usada para descrever o povo de Deus depois de Adão e Eva.

Seremos também: “um reino de sacerdotes e nação santa” – não é uma tribo sacerdotal. No Velho Testamento, a tribo sacerdotal era a de Levi. Apenas seus descendentes são permitidos para exercerem a obra dos levitas, e apenas a descendência de um dos filhos exercia o sacerdócio. Mas a promessa de Deus se refere a um reino. O plano de Deus é que todo Seu povo tenha acesso direto a Ele.

O sacerdócio tem acesso direto a Deus – o tipo de relacionamento mais próximo de Deus.

O povo responde: “tudo o que o Senhor falou, faremos” (v.8). Mas nada fizeram. Eles não tinham poder para fazer isso. Seus corações eram corruptos, não tinham qualificação para se tornarem sacerdotes por sua própria força. E nós também não podemos. Precisamos Dele.

Sendo sacerdotes, temos acesso direto a Deus. Pessoas podem entrar aqui no templo agora e terem acesso às mãos de Deus, como no átrio exterior. Mas apenas os levitas entravam no Santo Lugar, e só os sacerdotes tinham acesso ao Santo dos Santos. No Sinai, Moisés desejou ver Deus face a face. Poucos tem acesso a esse lugar.

Em todo o Velho Testamento, a Palavra se refere ao Ungido, ou o Renovo – é uma profecia a respeito de uma pessoa que está por vir. Jeremias 23 e 33 fala do Renovo do Senhor que vai se levantar e será “Deus, a nossa Justiça”. Em Zacarias 6 fala do Renovo. Em Zacarias 3.8, Deus fala com Josué, o Sumo Sacerdote daquela época, e se refere a ele e a seus companheiros como “homens de presságio” – Ele fala do Renovo, um ramo de santidade e justiça, uma figura de Cristo. Deus tem uma aliança com Judá e com Levi.

“Porque eis aqui a pedra que pus diante de Josué; sobre esta pedra única estão sete olhos; eis que eu lavrarei a sua escultura, diz o Senhor dos Exércitos, e tirarei a iniquidade desta terra, num só dia” (Zacarias 3.9). Os sete olhos sobre a pedra são os olhos que estão olhando todos os corações humanos. Quando abrimos a Bíblia, há sete olhos observando nosso coração, o próprio Deus olhando para nós. Podemos dizer muitas coisas, mas Deus vê o coração – todas as verdades e todas as mentiras.

Esse verso fala de um dia em que o povo de Deus vai viver a plenitude da terra e da vida espiritual.

“Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eis aqui o homem cujo nome é Renovo; ele brotará do seu lugar e edificará o templo do Senhor. Ele mesmo edificará o templo do Senhor e será revestido de glória; assentar-se-á no seu trono, e dominará, e será sacerdote no seu trono; e reinará perfeita união entre ambos os ofícios” (Zacarias 6.13) – O Messias virá e um dia Ele estará assentado em um trono.

Gênesis 14 – Melquisedeque significa “Rei Sacerdote” ou “Rei de Justiça”. Ele é Rei de Salém ou “Rei da Paz”. Cristo vai herdar todas as nações da terra.

Salmo 2 e Salmo 110 – Davi viu o Pai e o Filho conversando. O Salmo 110 é o texto mais citado no Novo Testamento. O verso central é: “Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque” (v.4). Mas o sacerdócio era da ordem de Levi. O que está nessa passagem é que no céu existe um sacerdócio que não tem fim nem um começo – um sacerdócio que sempre existiu.

O Natal é a celebração do Filho de Deus vindo à terra como um bebê. Isso é maravilhoso! Como Ele se tornou sua própria criação? Ele se fez o segundo Adão. Como? Isso é um mistério! Pense em Maria trocando as fraldas de Deus, ensinando Deus como falar. Isso é um mistério maravilhoso!

Pois Davi viu algo extraordinário sobre Cristo antes de Sua vinda à terra. Ele viu Cristo assentado à direita do trono de Deus. Cristo é nosso eterno Rei Sacerdote. Davi então moldou o tabernáculo com a compreensão acerca desse sacerdócio. Reuniu as tribos e resolveu trazer de volta a arca para Jerusalém, mas os bois tremeram e Uzá foi morto ao pôr as mãos na arca. Então, a arca ficou três meses na casa de Obede-Edom, e Davi ficou batalhando em duas guerras. Davi buscou a revelação da ordem correta, mas não seguiu exatamente o que se esperava da ordem levítica. Ele se vestiu como um sacerdote, dançando com todas as suas forças diante do Senhor. Creio que durante esses três meses, Davi foi arrebatado aos céus e viu o que está no Salmo 110.

Nós entramos em uma nova ordem de sacerdotes. Cada ordem tem o seu modelo.

Zacarias 4 – “pelo Espírito” se dará a construção da casa do Senhor. Agora mesmo, em todo o mundo, as pedras vivas estão sendo colocadas nos seus lugares. Então Cristo descerá dos céus. Deus estará habitando novamente na terra. Mas isso não vai acontecer pela tecnologia ou pela habilidade humana. Deus fará do jeito que Ele quer. Muitos ministérios estão sendo construídos, muitas casas, mas se a construção não estiver sendo feita pelo Espírito, se não forem lugares de encontro, não serão a casa de Deus.

1 Pedro 2.9 – Cristo é a pedra de esquina. A pedra de tropeço se tornou a pedra de esquina. Somos raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus. Ele quer um reino de sacerdotes. Nós somos esse reino, somos essa nação, esse tesouro peculiar.

A aliança não tem a ver com regras, mas com sermos íntimos Dele, estarmos com Ele, negarmos a nós mesmos e segui-Lo. Não vivemos como queremos. Se fizermos isso, seremos Seu tesouro peculiar. Teremos acesso diário ao trono de Deus.

Apocalipse 5.7 – Ninguém foi achado digno de tomar o livro ou de olhar para o livro. O Cordeiro tomou o livro da mão direita (o poder completo de Deus). Ele não pediu, Ele tomou. Todos se prostraram e cantaram uma canção, com cinco características da Sua dignidade (v.9):

1- Foi morto
2- Comprou para Deus com Seu sangue
3- Redimiu homens de toda tribo, raça, língua e nação
4- Fez para Deus um reino de sacerdotes
5- Reinarão sobre a terra

O GRANDE PROBLEMA: esse sacerdócio foi dado a nós por Cristo, que entrou além do véu, rasgou o véu, como um precursor, para que também pudéssemos entrar lá. Mas apenas como sacerdotes podemos entrar lá. Ele nos separou como um reino de sacerdotes para isso, mas a maioria de nós nunca fez isso. Somos sacerdotes para sempre na mesma ordem sacerdotal de Cristo, a ordem de Melquisedeque, mas a maioria de nós nunca ouviu uma hora de mensagem sobre essa ordem. Esse sacerdócio faremos para sempre.

Dizemos que Cristo é nosso Noivo, e vamos nos casar com Ele, e falamos que temos intimidade com Ele, mas não sabemos qual é o trabalho Dele para sempre. Não sabemos qual é a ordem de Melquisedeque. Não sabemos qual é a paixão eterna Dele. Como Ele pode ser o nosso amado se não sabemos disso?

Gastamos tempo ocupados com nossos desejos, nossos planos. Mas quanto tempo estamos buscando os anseios Dele, a paixão Dele?

O sacerdócio de Melquisedeque será revelado à igreja. Conforme o tabernáculo de Davi estiver sendo restaurado, essa revelação aumentará. Quem somos nós para sempre? Quem Ele é para sempre? Deus está vindo para nos dar revelação – vamos aprender a nos movermos entre o céu e a terra. Muito pouco do atual Cristianismo vai permanecer depois dos abalos que estão por vir. Mas o sacerdócio de Cristo vai permanecer, é eterno.

“Suba aqui” – uma dimensão onde apenas sacerdotes podem entrar.

"Deus está nos chamando para o lugar da oração"

ESCOLA DE ORAÇÃO BETÂNIA 2014
Síntese da palavra de sexta-feira, 05/12 - Kirk Bennett

Mateus 6.6

A maioria sabe que se deve orar. Fomos ensinados que precisamos orar. Ao longo dos anos, oração e evangelismo se tornaram provavelmente as duas palavras que fazem todo cristão se sentir culpado por elas. Todos já ouviram sobre isso, mas a maioria não ora nem evangeliza.

Descobri o problema: nós, os líderes. Temos o mesmo problema que o povo. Sabemos que temos de orar e evangelizar, mas também não fazemos nem uma coisa nem outra. Estamos no mesmo lugar.

O Senhor me chamou para o lugar da oração em 1987. Achava que conhecia Deus, mas no lugar de oração pensei que tinha feito algo errado e que Ele estava me castigando. Deus me disse: quero você horas na minha presença. Eu disse: horas? Ah, não! Eu argumentei: não tenho o dom de orar, não sou chamado para orar. Ele me disse: Eu que te dei os seus dons, o seu chamado.

Eu tive que descobrir que oração não é para pessoas que tem um dom para orar, mas é para todo aquele que crê em Jesus. Quem acredita em Jesus, vai falar com Ele, vai ouvi-Lo. Sem isso, como dizer que é um crente?

Há um problema entre o que digo que creio e o que realmente creio.

Eu era um pastor, responsável por uma parte considerável da igreja, cerca de 500 pessoas. O pastor titular convocou toda a equipe para estar 8 horas por semana na sala de oração. Eu pensei: o pastor vai me pagar praticamente um dia de trabalho por semana para orar? Mas eu nunca tinha orado nem 8 horas em um mês, quanto mais 8 horas por semana! Achei que depois disso, eu ia ficar brilhando e as pessoas cairiam quando chegassem perto de mim. Então, comecei as primeiras duas horas de oração. E logo olhava o relógio e achava tudo aquilo muito chato. Eu não sabia como estar com Deus, não gostava de estar com Deus. Preferia falar sobre Deus do que com Deus.

Eu orava uma lista de pedidos, porque não sabia o que dizer para Deus por tantas horas. Mas o tempo não passava. Orava a lista de trás para frente, orava a lista em línguas, e a hora não passava.

Existia uma grande distância entre mim e Deus, mas eu não sabia disso. Eu conhecia o Cristianismo, mas não conhecia Cristo. Eu profetizava, usava meus dons, mas não conhecia Ele muito bem. Estar com Ele é bem diferente.

O Senhor nos ama profundamente. Ele anseia estar conosco. Ele sabe cada pensamento nosso. Quando pensamos no céu, imaginamos fazer muitas coisas: conhecer a sala do trono, beber do rio que corre do trono, etc. Mas Deus deseja apenas uma coisa: você e eu.

Muitos de nós fomos ensinados que há palavras certas para orar, mas isso não é verdade. Em Mateus 6.6 Jesus ensina a parte pessoal, individual de falar com Deus. Não se trata do que falar, mas falar, conversar com Ele livremente. Na Igreja Metodista, de onde vim, orávamos o “Pai Nosso” em todas as reuniões. Essa oração é curta, mas muito profunda. As palavras de Cristo são profundas – sempre existe mais revelação sobre quem Ele é. A questão é conhecer quem Ele é e quem é o Pai.

Por muito tempo fiquei fascinado com as coisas que Deus tinha me dado, mas perdi a fascinação por Ele mesmo. Meu coração foi ficando endurecido, e o Cristianismo, enfadonho. Foi quando Deus me chamou: eu quero você horas na minha presença.

Descobri na jornada que a Bíblia é um livro com 66 cartas de amor escritas para mim. 66 maneiras diferentes de Deus falar comigo o quanto me ama, o quando Ele é real e o quando posso conhece-Lo. Não quero deixar de lado essas cartas de amor. Não quero amar as coisas mais do que Ele. Todos nós estamos em uma jornada. Avivamento de amor está tocando a terra, um chamado de volta ao primeiro amor, um chamado para que pessoas voltem ao lugar de intimidade com Deus. Agora mesmo há um convite de casamento, para que pessoas se preparem para esse dia, conversarem com o rei e entrarem na história de amor mais profunda que já existiu.

Prepare-se para o casamento! – Deus está perturbando o Cristianismo, os ministérios. Jesus não é cristão. Ele não segue o Cristianismo. Ele é o Cristo. Muitos conhecem o Cristianismo, mas não conhecem Cristo. Tudo gira em torno do amor. Ele nos ama para o amarmos de volta e entrarmos em um amor mais profundo. É simples, não parece que é tão maravilhoso, mas é a forma que Deus determinou ao coração humano: conhece-Lo e ama-Lo.

Estamos tão ocupados, procurando amor em outras coisas. Nosso ser anseia por amor do jeito mais profundo possível. Se vamos a Igreja e não encontramos esse amor, então vamos procurar amor fora de Deus. E isso nunca vai nos satisfazer. Não é um amor intelectual, mas é um amor no mais profundo interior. Deus é Espírito. Ele é capaz de levar nosso ser a profundidades de alegria, fascinação, glória, transformação profunda que não vamos encontrar em outros lugares.
Como fazer isso? O mundo tenta com filmes, com entretenimento. Deus diz: venha!

Muitos pensam: o que preciso pagar para ter uma experiência profunda de amor? Deus apenas diz: venha, eu quero estar com você! Isso é oração – uma troca de afetos de amor. O que é o primeiro mandamento? Amar Deus. Como amá-Lo? Ao recebermos Seu amor por nós, damos amor de volta para Ele. Isso é oração.

Lucas 11 acontece dois anos depois de Mateus 6. Jesus acaba de orar, e os discípulos perguntam: ensina-nos como orar. Jesus ensina a mesma oração.

É impossível não se relacionar com alguém sem conversar com essa pessoa. Imagine em um casamento que o marido só se comprometa a conversar com sua esposa apenas 5 minutos por dia. Esse homem não quer uma esposa, quer um casamento. Muitos querem o Cristianismo, mas não Cristo.

Os discípulos nunca perguntaram nos Evangelhos: ensina-nos a expulsar demônios, ou ensina-nos a curar os enfermos. Eles perguntaram: ensina-nos a orar. Os discípulos viram que o relacionamento de Jesus com o Pai o capacitava a realizar milagres, levantar mortos.

Transformação está no contexto do relacionamento. Achamos que a mensagem vai mudar a gente, a igreja vai mudar a gente, pessoas que orem por nós vão mudar a gente. Achamos que vamos mudar sem Deus. Nossa transformação está em um relacionamento profundo com Deus. Distante Dele não conseguimos mudar.

Percebi que a minha cidade nunca ia mudar sem oração. Então, nos comprometemos a orar em nossa sala de oração para que Deus mudasse a cidade. Por um ano e meio, depois de orarmos todos os dias, no fim de uma das reuniões de oração, eu disse: Senhor, sou grato a Ti, mas quando vais mudar a cidade? Ele me disse: já estou mudando a cidade, veja o quanto você mudou. Quanto mais pessoas orarem, mais a cidade será transformada.

O pensamento babilônico é: vamos fazer algo sem Deus. Podemos mudar, construir uma torre até o céu, edificar uma cidade sem Deus. Desde então, sistemas religiosos, políticos e financeiros tentam construir sem Deus.

Há uma necessidade de repetição na oração. Os discípulos, creio eu, só entenderam depois que Jesus ensinou o “Pai Nosso” pela segunda vez. O amor vai mais fundo em nós cada vez que oramos. Vamos entendendo, vamos nos aprofundando.

2 Coríntios 3.18 – “Portanto, todos nós, com o rosto descoberto, refletimos a glória que vem do Senhor. Essa glória vai ficando cada vez mais brilhante e vai nos tornando cada vez mais parecidos com o Senhor, que é o Espírito”. Quando contemplamos Deus, somos transformados. Olhar para Deus é como mudamos. A liderança da igreja, por anos, tem falado para pessoas que verão a glória de Deus quando forem para céu, depois de morrerem. Não podem ver agora a glória de Deus, e então devem sair e chamar pessoas para a igreja. Por isso há tantas igrejas cheias de pessoas que não veem a glória de Deus, que lutam as mesmas lutas ano após ano. Esse é o dilema da igreja.

Mas Deus tem um plano maravilhoso! Ele vai restaurar o Tabernáculo de Davi. Um lugar cheio de jovens para estar na presença de Deus. O emprego deles era contemplar Deus, com música para Ele. É um modelo de adoração para a igreja hoje. Davi fez instrumentos, uniu pessoas para tocarem esses instrumentos. Os mais velhos treinavam os mais jovens. Era uma atmosfera artística fascinante, com a presença de Deus bem no meio.

Atos 15 – o Cristianismo estava começando a se tornar um método religioso. Foi um momento crítico para a igreja, pois até então era constituída apenas de judeus. Mas Pedro e Paulo começaram a ver o que Deus estava fazendo entre os gentios. Os antigos mestres judeus estavam dificultando a vida dos gentios para se tornarem cristãos, impondo as leis judaicas. Mas as coisas impuras, Deus estava tornando puras.Tiago se levantou naquele conselho e afirmou o que também se encontra em Amós 9.11-12:

“Depois disso eu voltarei — diz o Senhor — e construirei de novo o reino de Davi, que é como uma casa que caiu. Juntarei de novo os pedaços dela e tornarei a levantá-la. Assim todas as outras pessoas, todos os outros povos que eu chamei para serem meus, vão procurar conhecer o Senhor” (At 15:17).

Deus está levantando lugares de oração e adoração em todos os lugares – músicos e cantores se reunindo em torno do Senhor. Ele está nos chamando para o lugar da oração. Podemos fazer isso do jeito fácil ou do difícil, quando há perseguição.

A casa de Deus é oração.

"Nós somos uma casa de oração"

ESCOLA DE ORAÇÃO BETÂNIA 2014
Síntese da palavra de quinta-feira, 04/12 - Michael Duque Estrada

O que mudou a minha vida foi a oração. Gastar a vida no lugar secreto muda pessoas. Encontrar Deus no lugar de oração muda tudo. Convido você hoje a entrar nisso que o Espírito Santo está fazendo e nos dando o privilégio de participar.

“A minha casa será chamada casa de oração” – A igreja é uma casa de oração. Não podemos colocar a primeira coisa em segundo lugar. Nós somos uma casa de oração. A igreja é construída, edificada pela oração, ela pastoreia pela oração. Essa é nossa identidade.

O que é oração? Parece simples. Mas em nossa cultura, oração abre várias definições, como: petição pessoal (“Deus, abra uma porta de emprego para mim!”) ou batalha espiritual (fazer guerra contra principados e potestades).Casa de oração, em Isaías, significa “Casa de encontro” ou “Casa de salmos”. Existe intercessão, petição pessoal, mas a igreja é uma casa de encontro com a glória de Deus. Ele está convidando Seu povo a construir um lugar de devoção regular e contínua.

Os mercadores estavam vendendo os animais para sacrifício a preços abusivos, que impediam as pessoas de oferecem sacrifício. Deus está removendo ritos errados, tudo aquilo que está impedindo o entendimento correto de quem Ele é, para que o povo Dele consiga se encontrar com Ele.

Em toda a terra vai se levantar incenso ao Senhor. Há 10 anos existiam 400 ministérios focados em oração dia e noite. Hoje existem 15 mil, em todo tipo de nação que se possa imaginar. Poderíamos falar de muitos lugares, como a Indonésia, o Egito, lugares fechados pelo Islamismo. Isso está acontecendo no mundo todo.

Não existia missões no meio protestante, apenas os católicos. Lutero e Calvino não mexeram com missões. Estamos aqui por causa do movimento missionário que nasceu das reuniões de oração dos morávios, que oraram por mais de 100 anos sem parar.

Sempre que Deus quer realizar algo na terra, Ele ajunta pessoas no “Conselho do Senhor”. Há desejo, alegria na oração. Pessoas estão orando dia e noite em toda a terra. A igreja está chamando Jesus para casar. A igreja está orando para que o Evangelho do Reino seja pregado em toda a terra.

Deus está nos chamando para amá-Lo, não para nos usar em Seu trabalho. Ele não quer nosso desempenho, Ele quer o nosso coração. É claro que tem trabalho, serviço, evangelismo, mas o que Deus quer é você e eu. Todo tipo de trabalho deve surgir de um pulsar de oração, de uma cultura de oração, enxergando o mundo pela ótica do coração de Deus.

Existem 3 pessoas na Bíblia que são paradigmas para o movimento de oração. Homens e mulheres de uma só coisa: Davi, Paulo e Maria de Betânia.

DAVI → Salmo 27.4: “uma coisa peço ao Senhor: contemplar a beleza do Senhor e estudá-Lo no Seu templo”. Um rei, cheio de atividades administrativas, cheio de coisas para resolver, que decidiu ter apenas uma coisa para viver. Estamos cheios de coisas, mas a Bíblia fala para buscarmos primeiro o Reino de Deus e a Sua justiça. Com esse foco, seremos melhores pais, melhores pastores, melhores pessoas. Davi instituiu e sustentou cantores e músicos para ministrarem ao Senhor dia e noite. Davi construiu uma réplica do que está acontecendo em Apocalipse 8. De alguma forma ele teve uma visão do céu – ele viu um templo, que não existia em sua época. Davi teve visões do que estava acontecendo no céu e, por isso, construiu um lugar onde as orações nunca paravam.

Onde estão os homens e mulheres que tem o coração de Davi? Um homem segundo o coração (as emoções) de Deus. Davi gastou a vida estudando quem Deus é, o que Ele sente. A beleza de Deus tem a ver com quem Ele é. Isso tornou Davi obcecado por Deus.

O Pai (Aba) nos ama incondicionalmente. O entendimento errado de quem Deus é nos afasta do lugar de oração.

Apocalipse 4 – Davi viu isso: quatro seres viventes. Eles apenas dizem: “Santo!” Adoração é resposta de quem Deus é. Pensar em “santo” não é apenas algo que é separado da maldade ou do pecado – Deus é fora do comum! Ele é Santo! Tudo aquilo que nos fascina nos faz perder tempo sem percebermos que o tempo está passando. Não sentimos cansaço. Davi viu um Deus cheio de beleza e fascínio.

Salmo 132.1-5 – Davi fez um voto: até que eu encontre um lugar para o Senhor. O estilo de vida de Davi iria mudar até que ele construísse um lugar na terra para Deus morar. É impossível fazer esse voto sem conhecer quem Ele é, sem gastar tempo para uma só coisa: quem Deus é.

PAULO → Era o melhor dos melhores, discípulo de Gamaliel, tinha do que se orgulhar. Escreveu a maior parte do Novo Testamento.

Filipenses 3.7-14 – Paulo estava no final de carreira, já havia discipulado Timóteo e Tito. Mas ele disse: o que para mim era ganho, considero como perda pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus. Ele disse: “uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”.

Que você seja tomado por uma paixão suprema de conhecer Deus!

MARIA DE BETÂNIA → Betânia significa “casa de figos”, uma figura do movimento de oração nesses dias, um lugar de descanso.

João 12.1-8 – estavam ali Marta (que servia), Lázaro (o milagre), Judas (o que tinha outras intenções), aqueles que foram não só por causa de Jesus, mas para ver Lázaro (o milagre). Mas ali também estava Maria – ela derramou um perfume caríssimo, talvez todas as economias de sua família, aos pés de Jesus. Ela marcou a memória de Jesus (Marcos 14.9).

Aqueles que se posicionarem em devoção radical serão criticados: “Não precisa orar tanto!” ou “Pra que 24 horas de oração?” Achamos digno ter lugares abertos 24 horas porque queremos ter nossas necessidades supridas a qualquer hora. Deus é muito mais digno de ser adorado 24 horas.

Como você quer ser lembrado? Você não pode mais pensar que tem ainda 10 anos pela frente para só então ser radical para Ele. Deus está levantando hoje pessoas de “uma coisa”.

Toda extrema devoção começa com uma simples devoção – Lucas 10.38-42

Marta estava atarefada (ministério) com muitas coisas. Ela estava atarefada com o ministério de servir Jesus, ansiosa (turbazzo = mente tumultuada). Há realmente muito trabalho a ser feito, mas “apenas uma coisa é necessária!” Maria escolheu a boa parte (agathos = algo bom que produz boas obras).

É possível separar 15 minutos por dia para orar e ler as Escrituras? Sim, isso é uma simples devoção. Maria estava ouvindo a palavra (logos). Aceite o convite do Senhor de se tornar uma pessoa de uma coisa a partir desta simples devoção, de se sentar por 15 minutos e ouvir o que Ele pensa sobre você, de encontrá-Lo quando cantar a Sua palavra.

Podemos ser pessoas de uma só coisa, pois Deus tem uma só coisa em mente: somos Seus filhos favoritos.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Meus primeiros livretos



Foram impressos meus primeiros livretos da série Valores do Reino, que estou lançando hoje, dia 04/12/2014, na Escola de Oração Betânia.

Se você deseja adquiri-los, deixe um comentário abaixo com seu nome e email.