Mochileiro

O que é um mochileiro? "Viajante de poucos recursos, cuja bagagem se reduz geralmente a uma mochila, e que recorre a serviços baratos de alojamento, alimentação e transporte" (vide "mochileiro", in: Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, 2008-2013).

Justamente assumindo essa posição humilde e aventureira, de quem ainda tem muito a aprender, resolvi postar aqui no blog meus comentários e "notas de viagem" sobre a leitura da Bíblia. Pretendo publicar pequenos insights que iluminaram meu caminho pelas Escrituras (antes de se tornarem textos mais elaborados, artigos ou algo do tipo). Também vou deixar links de textos já postados anteriormente, relacionados aos assuntos.

Comecei em fevereiro de 2017 e, na maior parte dos dias, tenho percorrido a Bíblia no ritmo de quem está "a apreciar a paisagem". Em outros momentos, leio de forma mais rápida e objetiva. Sempre anotando e colhendo algumas pérolas. Não será, portanto, um guia de leitura tipo "leia a Bíblia em 1 ano", mas talvez seja algo próximo de um devocionário ou um bloco de notas público.

Convido você a me acompanhar nessa jornada. Vou tentar postar uma vez por mês as minhas impressões das leituras, começando lá de Gênesis 1. Depois de concluída a leitura, espero compilar tudo em um trabalho mais elaborado, talvez um livro.

Se você ainda não leu a Bíblia toda, recomendo que comece HOJE e não pare NUNCA MAIS.

Guia do Mochileiro da Palavra


Gênesis 1 - 4

A queda gerou dores e inimizades:
- entre a serpente e os outros animais (3.14)
- entre a serpente e a mulher (3.15)
- entre a mulher e o ato de dar à luz (3.16)
- entre a mulher e o marido (3.16b)
- entre o homem e a terra (3.17-19)
- entre o homem e o Criador (3.23-24)

Na terceira geração desde Adão, os homens começam a invocar o nome do Senhor (4.26)
Adão = Sete (em lugar de Abel) = Enos 
[em 01/02/17]

Gênesis 5 - 8

Sobre o dilúvio: "Todas as fontes das grandes profundezas jorraram, e as comportas do céu se romperam" (7.11). As águas cobriram tudo (7.20) e purificaram a terra da maldade do homem.

Nos últimos dias, as águas do Espírito serão derramadas sobre a terra - jorrarão de dentro dos filhos rios de água viva e se derramará o Espírito sobre toda a carne.

A terra será inundada, cheia do conhecimento de Deus. Virão o Seu Reino e a Sua Justiça.
[em 02/02/17]

Gênesis 9 - 16

Noé amaldiçoa seu filho Cam = sua descendência deixa um legado terrível na terra. Ninrode, por exemplo, é um fundador de cidades (10.8-14) que se tornam fontes de pecado e maldade contra Deus e seu povo Israel (Babel, Nínive, os antepassados dos filisteus...)

Noé abençoa seu filho Sem = dele descende Abrão.

A palavra paterna estabelece toda uma descendência em paz ou pode condená-la a um destino de caos, distante de Deus.

Outro ponto importante: ALTARES de Noé (8.20) e de Abrão (12.7-8, 13.4, 13.18).

Faça a leitura de um artigo que escrevi faz algum tempo, chamado "Babel, linguagem e unidade". Vale a pena conferir! 
[em 06/02/17]

Gênesis 17 - 20

"Ocultarei de Abraão o que planejo realizar?" (18.17) = Amizade / Aliança (17.2)

Abraão intercede por seu sobrinho Ló, que estava em Sodoma. O Senhor afirma: "Por amor de dez justos, não destruirei a cidade" (18.32) = somente quando Ló e sua família deixam a cidade, ela é destruída.

Amigos de Deus conhecem Seus planos:
- liberam juízos na cidade
- intercedem pelos justos na cidade
[em 10/02/17]

Gênesis 21 - 28

Abraão e Isaque instruíram seus filhos que não se casassem com as mulheres de Canaã. Tempos depois, nos dias de Josué, a orientação foi a mesma: que não se misturassem. Somos povo de Deus, separados para Ele. Não devemos nos misturar, nem casar (fazer aliança) com este mundo.

Ainda sobre a relação entre Abraão e Isaque, vale a releitura do artigo "Fé e Obediência".

Salmo 21 - O Senhor tem concedido os desejos do nosso coração naquilo que Ele mesmo aprova. Ele tem nos mostrado a cada dia o seu cuidado. Só precisamos confiar Nele.

O Senhor reafirma quem é e Suas promessas a Isaque e a Jacó.

No caso de Jacó, me impressiona saber que isso acontece depois de trapacear pela segunda vez o seu irmão Esaú. Ou seja: Jacó ainda era um usurpador (segundo seu próprio nome) e Deus se revela a ele e manifesta Sua graça e Sua aliança (28.13).

ALTAR de Isaque em Berseba (26.25) e um PILAR de Jacó em Betel (28.18)

Voto / Dízimo (28.22)

Isaque colhe a cem por um (26.12) como Jesus disse na parábola do Semeador (Mateus 13).

Isaque constrói poços (26.18-22). Dois deles são os mesmos poços do pai, só que geram discussão (Eseque) e inimizade (Sitna). Quando ele decide sair, mudar para outro lugar, ele encontra um "lugar espaçoso" (Reobote) = nem sempre os poços de nossos pais nos trarão paz - precisamos cavar e construir nossos próprios poços.
[em 13/02/17]

Gênesis 29 - 32

Raquel é a figura de uma pessoa estéril / uma igreja estéril - esse deve ser o seu clamor: "Dá-me filhos, senão morro!" (30.1)

Deus ouve o clamor (30.22).
[em 14/02/17]

Gênesis 33 - 36

A história da família de Esaú é relatada na Bíblia junto a história dos habitantes de Canaã.

Depois de mencionar seus filhos Elifaz e Reuel (36.10) e Jeús, Jalão e Corá (36.18), aparece uma genealogia dos habitantes de Seir (36.20). Esaú se estabelece nos montes de Seir (36.8).

Esaú se distancia da vontade de Deus e da aliança feita com seus pais Abraão e Isaque.
[em 16/02/17]

Gênesis 37 - 41

A história da família de Jacó começa falando de José (37.2) = o filho mais amado (37.3) / seu nome significa "Salvação" (José / Josué / Jesus). É a história do amor de um pai pelo seu filho.

O Senhor estava com José = autoridade na casa de Potifar (39.5-6), na prisão (39.22) e, mais tarde, sobre todo o Egito (41.40).

Sobre José estava o Espírito de Deus (41.38) = sabedoria e entendimento (41.33). Faraó reconhece isso antes de nomeá-lo governador do Egito.

Os filhos de José no Egito: Manassés (significa "esquecer", 41.51) e Efraim (significa "próspero na terra dos meus sofrimentos", 41.52) = aqui há um indício de que José queria deixar para trás o seu passado, a sua herança familiar. Mas obviamente esses não eram os planos de Deus.

Um parêntesis: Ao contrário da instrução recebida por seus pais, Judá se relaciona com uma mulher de Canaã (cap.38). Nada deu certo para ele depois disso = agiu como Esaú. Mas na sequência da história de Judá, há um retorno aos caminhos de Jacó/Israel.
[em 17/02/17]


Gênesis 42 - 50

Depois de rever seus irmãos, José tem a certeza de que fora mandado para o Egito por Deus, não por seus irmãos (45.7-8).

Há circunstâncias ruins que nos sobrevém, mas Deus está no controle - Ele sabe o que está adiante de nós. Deus transforma o mal em bem (50.20).

O Senhor fala com Jacó em um duplo chamamento: "Jacó, Jacó" (46.2-4) = é como Deus reafirmasse seu amor e cuidado por ele quando ainda era Jacó, antes de ser chamado Israel (isso está expresso em Malaquias 1.2).

O pastoreio era um trabalho inferior no Egito (46.34).

Jacó abençoa seus filhos antes de morrer. Alguns destaques: Simeão e Levi seriam espalhados no meio do povo (49.7) e assim aconteceu; o cetro (autoridade) não se apartaria de Judá (49.10) e Jesus é o Leão da tribo de Judá; José foi chamado de "árvore frutífera" (49.22), exatamente como no Salmo 1.
[em 21/02/17]


Nenhum comentário:

Postar um comentário