terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Dias proféticos

PARTE 1

Luciano Motta

A grande catástrofe que atingiu recentemente a região serrana no Rio de Janeiro e também outras localidades no Brasil e no exterior certamente suscitou em algumas pessoas a seguinte pergunta: Por quê?

Especialistas em clima e geologia apontam possíveis causas naturais: efeito estufa, fenômeno La Niña, condições do solo... Sociólogos acusam os políticos por sua omissão e descaso com o problema das pessoas habitando em áreas de risco... Governantes transferem a responsabilidade para os próprios moradores por terem construído suas casas em locais impróprios... Ateus aproveitam para por a culpa em Deus...

E os crentes fazem o quê?

Veja também a atual crise no Egito - milhares de pessoas nas ruas, violência, mortes, perseguição à imprensa... Sem dúvida há grandes interesses em torno desse país de grande extensão territorial, que conecta África e Ásia, com cerca de 80 milhões de habitantes. No Egito fica o canal de Suez, preciosa rota de passagem que liga o Mediterrâneo aos mares orientais. Pois essa nação em ebulição política tem tudo para incrementar sua oposição a Israel caso assuma um novo líder, e a pressão é por um radical islâmico.

E a igreja faz o quê?

"Ouçam esta palavra que o SENHOR falou contra vocês, ó israelitas; contra toda esta família que tirei do Egito: Escolhi apenas vocês de todas as famílias da terra; por isso eu os castigarei por causa de todas as suas maldades. Duas pessoas andarão juntas se não tiverem de acordo? O leão ruge na floresta se não apanhou presa alguma? O leão novo ruge em sua toca se nada caçou? Cai o pássaro num laço se não há nenhuma armadilha? Será que a armadilha do laço se desarma se nada foi apanhado? Quando a trombeta toca na cidade, o povo não treme? Ocorre alguma desgraça na cidade, sem que o SENHOR a tenha mandado?" (Amós 3.1-6 NVI)

Esta palavra foi um juízo de Deus contra Israel e seu pecado. Em pouco tempo os israelitas foram levados cativos para a Babilônia. Eles tiveram conhecimento do que Deus ia fazer por meio do profeta.

A Bíblia nos mostra homens de Deus enviados para anunciar calamidades e tragédias que estavam por vir, assim como invasões, destruição de povos, cerco de inimigos. Há diversas referências que ligam as vozes dos profetas às tragédias e aos conflitos nas nações.

Há uma voz profética para esses dias. O mundo está desmoronando. Impérios antes considerados imbatíveis estão ruindo. Nações desprezadas agora se levantam com força. As previsões científicas quanto aos movimentos da natureza tem sido refeitas constantemente. Há uma aceleração dos tempos. Sem dúvida, vivemos dias proféticos.

"Certamente o SENHOR Soberano não faz coisa alguma sem revelar o seu plano aos seus servos, os profetas" (Amós 3.7 NVI).

Como anda a voz profética da igreja de Cristo hoje? Muitos estão ocupados com seus planos de conquista e expansão de suas próprias bandeiras e denominações. Muitos estão deslumbrados por um evangelho antropocêntrico, voltado para a bênção, para as promessas, para o bem-estar do homem.

Deus revela aos seus profetas o que vai fazer ANTES de fazer. Então, quem teve a revelação de Deus para as calamidades na região serrana? Quem teve a palavra profética para as crises no Egito? Quem irá anunciar as próximas ações de Deus na terra?

"Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR" (Amós 8.11 NVI).

É crescente a fome e a sede pelo verdadeiro Evangelho do Reino, pelas coisas do fim. Precisamos urgentemente da revelação de Deus para os últimos dias. A igreja só será relevante se compreender o seu papel nesses tempos de graves calamidades e crises nas nações. É hora da igreja e dos seus profetas se levantarem no mundo e liberarem os juízos de Deus. Ele é Amor, mas também é Justiça. Cristo veio como Cordeiro de Amor, mas voltará como Leão, e julgará a terra.

Que sejamos como as cinco virgens prudentes, mantendo nossas lâmpadas acesas, preparados para a chegada do Noivo (Mateus 25.1-13). Que sejamos aqueles que preservam uma vida devocional consistente, uma adoração apaixonada e racional, aqueles que beijam o Filho em honra e temor (Salmo 2.11-12). Que sejamos igreja viva, santa, posicionada, radical pela vontade de Deus e pelo cumprimento exclusivo de Seus propósitos, guiada pelo Espírito Santo, abundante em dons e unção. Que venha o Teu Reino. Maranata!

3 comentários:

  1. É uma honra ler esse texto...
    muito bom ver como sua visão está apurada!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo8.4.11

    Hoje li um texto sobre a tragédia no Japão (http://blogfiel.com.br/2011/04/tudo-o-que-e-e.html) e resolvi pesquisar sobre o assunto... Achei seu texto na internet. Não estou certo se podemos dizer que tais e tais tragédias são, necessariamente, juízo de Deus por esse ou aquele motivo...

    A. P. Rosa

    ResponderExcluir
  3. A.P.Rosa, acredito sim que esses e outros acontecimentos, como a tragédia na região serrana, e até esse incidente mais recente com o atirador na escola em Realengo, no RJ, apontam para os dias do fim. A Bíblia fala desses dias como um tempo de juízo e tribulação (leia Mateus 24). Obrigado pelo seu comentário, volte sempre. Fique na Paz!

    ResponderExcluir