sexta-feira, 31 de agosto de 2012

As Pedras Queimadas

Por Rick Joyner - MorningStar Ministries | Traduzido por Denise de Vasconcelos Araujo
Postado no blog Am3.8 Rugido do Leão

Os livros de Esdras e Neemias são duas das mais importantes mensagens proféticas de nosso tempo. Esses livros contêm a história de um remanescente do povo de Deus que retornou para Jerusalém do cativeiro na Babilônia para reconstruírem o templo do Senhor e os muros da cidade. Estes fiéis enfrentaram oposição e crítica das nações ao seu redor e até mesmo da parte de alguns compatriotas judeus que haviam permanecido na terra. Um dos mais veementes destes, Sambalate, disse as seguintes palavras a respeito deles:

E ele falou na presença de seus irmãos  e do exército de Samaria, dizendo: Que fazem estes fracos judeus? Fortificar-se-ão? Oferecerão sacrifícios? Acabarão a obra num só dia? Vivificarão dos montões de pó as pedras que foram queimadas?”(Neemias 4.2)

Hoje o inimigo da obra de Deus está fazendo estas mesmas acusações abusivas. Há um remanescente do povo deixando o conforto religioso da Babilônia com a visão focada na restauração do templo do Senhor na sua glória anterior. Sair da Babilônia e fazer a jornada espiritual para o local onde o templo será reconstruído exige uma fé extraordinária.  É neste lugar que a vida verdadeira da Igreja acontecerá da forma como o Senhor desejava que tivesse sido desde o início. E então, após a conclusão da jornada podemos esperar que as críticas invejosas e os inimigos do Senhor continuem. Um dos desafios com o qual podemos contar é a pergunta feita acima: Como poderão ser reconstruídos com pedras queimadas?

De fato, tanto o templo reconstruído quanto os muros da cidade foram construídos com pedras que haviam sido queimadas durante a destruição do templo e da cidade. Estas foram as pedras que haviam falhado e que agora pareciam inúteis para qualquer construção. Quanto mais a reconstrução do glorioso templo do Senhor ou dos muros que representavam a salvação (veja Isaías 60.18). Você é uma destas pedras queimadas? Você passou por uma obra que parecia gloriosa e gerando muito potencial e acabou completamente decepcionado? Você se queimou? Se este é o seu caso você é um candidato excelente para a nova obra que o Senhor está realizando hoje.

Pedras queimadas podem não ter boa aparência, mas elas passaram pelo fogo – foram provadas. Só uma fé notável é capaz de suportar o fracasso e se levantar novamente, determinado a continuar seguindo a visão. Pense no tipo de fé que este remanescente teve que ter para retornar para o local onde experimentaram o maior fracasso e devastação com a decisão de começar tudo de novo. É este o tipo de visão necessária para suportar a oposição e a falta de encorajamento que certamente virão durante a restauração.

Se você ainda não foi testado através de um fracasso espiritual sério, talvez você seja muito idealista para compreender o real objetivo por trás do que Deus está fazendo. Tudo o que o Senhor faz nesta era é um testemunho do Seu poder redentor. Como já foi dito, as pedras queimadas podem não ter boa aparência, mas o Senhor nunca se preocupou com o exterior das Suas habitações. Aqueles que passaram pelo fogo do fracasso e estão dispostos a serem usados novamente provavelmente serão aqueles com o interior com o qual Ele deseja construir.

Tanto Esdras quanto Neemias prevaleceram porque mantiveram o foco na obra e se recusaram a permitir que as críticas e a oposição os parassem. Eles responderam seus acusadores em alguns momentos e trabalharam com suas espadas na mão, sempre prontos a entrar em guerra se fossem atacados. Haverá momentos para trabalhar e guerrear mas precisamos nos lembrar que o nosso principal trabalho é completar a obra.

Todos estão aqui pelo mesmo motivo: ver o Senhor habitar no meio do Seu povo. Ter a presença dEle manifesta em nosso meio vale qualquer coisa que tenhamos que suportar. Aqueles que foram chamados à obra precisam aprender a reconhecer os que Judas chama de “queixosos” (Judas 1,16) e resisti-los. Isso faz parte da prova que precisa acompanhar cada obra significativa.

Estes ataques acabam minguando o exército, pois há aqueles que não têm coragem de fazer parte da obra neste estágio. Quando Israel se reunia para a guerra, o Senhor muitas vezes removia os soldados que eram  medrosos demais para a batalha.  Este é um corte que precisa acontecer antes que algo de real importância espiritual seja construído, ou antes, de batalhas importantes iniciarem. As críticas e acusações falsas deveriam nos encorajar. Há o tempo certo para respondê-las e há o momento de sacar a espada contra o acusador dos irmãos, mas na maior parte das vezes o que precisamos fazer é simplesmente focarmos a atenção na obra que nos foi dada. E a melhor resposta para qualquer crítica será a conclusão da obra.

Um comentário:

  1. Muito bom! boa palavra, todo nós eramos pedras queimadas, agora somos pedras vivas na construção do SENHOR, (1Pd 2.5,6), para glória do seu nome.

    ResponderExcluir