sábado, 25 de junho de 2011

Rufo

Luciano Motta

"Certo homem de Cirene, chamado Simão, pai de Alexandre e de Rufo, passava por ali, chegando do campo. Eles o forçaram a carregar a cruz" (Marcos 15.21).

"Saúdem Rufo, eleito no Senhor, e sua mãe, que tem sido mãe também para mim" (Romanos 16.13).

Alguns comentaristas bíblicos sugerem que esse Rufo, citado pelo apóstolo Paulo em sua epístola aos Romanos, seja o mesmo mencionado pelo nome no Evangelho de Marcos, tendo feito parte do primeiro grupo de discípulos de Jesus. Dessa forma, seu pai, Simão, fora justamente aquele que carregara a cruz no lugar de Jesus por certa distância a caminho do Gólgota.

Parece, portanto, muito difícil não fazermos a seguinte aplicação: Todo pai que carrega a sua cruz produzirá impactos profundos em seus filhos e em toda sua casa. Todo pai que vive de modo reto e digno diante de Deus, crucificando sua carne e vontades próprias, deixará marcas em sua família pelo seu testemunho e exemplo.

Jesus disse em Mateus 16.24: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me." Há uma cruz para todo aquele que deseja viver como Cristo, seguir Suas pisadas e fazer história. Desses descenderão homens e mulheres como Rufo, eleitos no Senhor, que darão continuidade à herança de vida que receberam de seus pais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário