quinta-feira, 11 de abril de 2013

Resistir e abraçar o sofrimento

Por John Piper - Breve síntese da pregação "Endure and Embrace Suffering" ministrada na conferência Passion 2013.

Introdução: Apocalipse 4

A intensidade de nossa adoração "ao que está assentado no trono e ao Cordeiro" cresce quando aumenta a nossa revelação do quão Digno Ele é.

Cristo é mais glorificado em nós quando estamos satisfeitos Nele - Ele nos promete grande recompensa.

Seguir a Jesus no caminho do amor (da compaixão, da justiça) nos fará sofrer. Seremos perseguidos.

Existe um padrão para podermos abraçar o sofrimento, no caminho do amor, pela causa da liberação.

Os três principais pontos para este padrão são:

  • A satisfação plena da alma na promessa de um futuro cheio de Cristo;
  • A liberdade da auto-proteção, do medo;
  • O fruto do destemido amor, não importa o custo. 

Pela liberdade alcançada com a satisfação plena da alma em Cristo, somos liberados de nós mesmos e lançados para percorrermos o caminho do amor, para libertarmos os cativos em nome de Jesus. Esses pontos estão em Hebreus 10, 11 e 12:

  • Hebreus 10.32-34 - É fantástico o fato dos primeiros crentes serem presos e se alegrarem, serem roubados e se alegrarem. Isso é um milagre! Como isso era possível? Eles sabiam o que vinha pela frente: "uma possessão melhor e permanente".

  • Hebreus 11.24-26 - Moisés escolheu ser maltratado com o seu povo do que desfrutar do Egito e de sua condição de filho da filha de faraó. Por quê? Ele viu a recompensa!

  • Hebreus 12.1-2 - Jesus suportou a cruz "pelo gozo que lhe estava proposto".

Uma questão: Sofrer por causa da recompensa não anularia a bondade, a entrega voluntária? Seria egoísta de nossa parte sofrermos agora porque iremos ganhar algo em troca depois?

A resposta: O foco no futuro, na recompensa, quebra em nós o poder do egoísmo, pois isso nos motiva a sofrer por amor, compaixão e justiça, e nos move a incluirmos outros na mesma recompensa. Isso não pode ser egoísmo!

* Você pode assistir esta pregação em inglês no YouTube ou ouvi-la no site SermonizeUs.

Nenhum comentário:

Postar um comentário