sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Sobre o agora

Luciano Motta

Uma das forças que impulsiona o mundo é o agora. O capitalismo se apropriou disso. Os cartões de crédito estão aí para provar. Possibilidades imediatas - e enormes, dependendo do seu limite - para se gastar um dinheiro que não se tem. A conta vem na próxima fatura, e quem empresta fatura alto, muito alto, em cima da falta de controle das massas. Sim, a nossa falta de controle.

O agora é imperativo. Compre. Beba. Faça. Agora! Não há tempo a perder. O ontem passou e o amanhã, quem sabe? Se o hoje está garantido, no mínimo, como uma possibilidade de realizações, o agora é urgente, é apressado, está aí, talvez você não dure até o final do hoje, portanto, desfrute do agora. Já!

A ordem é velocidade: informação online, correio eletrônico, comida de microondas, macarrão instantâneo, fast food. Essa noção se aloja também nas demais áreas: no salário que se gasta rápido (mal dura a primeira semana do mês!), nos casamentos que se desfazem na primeira briga, na fé fervorosa do culto de domingo que se esvai na manhã de segunda-feira, etc.

Somos estimulados o tempo todo a vivermos intensamente o agora, não importam as consequências. Importante é sermos felizes agora. Importante é a nossa satisfação egoísta e mesquinha agora:
... se o que você compra agora te dará prazer mesmo que depois implique em desgraça nas suas finanças, não complique, é simples: faça mais crédito ...

... se houve uma discussão e você acha que por isso o seu casamento deve acabar agora, ok, não lute pelo seu relacionamento, arrume outro parceiro(a). Divórcio é algo tão comum ...

... se você está permitindo que a tentação tome conta da sua mente agora, tudo bem, pratique o mal, vá fundo no pecado. O Deus dos crentes é um Deus de graça e amor, mais tarde, chore e peça perdão. Ele vai te perdoar ...
E assim o agora, que é uma dádiva, uma oportunidade, vai se tornando uma armadilha, um estilo de vida que arruína a própria vida. Valores de longo prazo como estabilidade, caráter, integridade, fé, constância são desprestigiados em uma cultura imediatista. Mas sem eles, não há sociedade que resista. Valores sobrevivem às circuntâncias, ao tempo, ao agora.

Ir contra essa corrente demanda atitudes na mesma medida de urgência ou ainda mais imediatas! Algumas posições são necessárias agora:

1- Se você NÃO É cristão: receba agora Jesus Cristo em sua vida em uma atitude de fé: Feche seus olhos (não se distraia com o que está ao redor), suspire fundo e fale com Jesus sobre a sua decisão - é igual a falar com um amigo. Depois, procure o mais rápido possível alguém que você considere ter uma vida sólida em Cristo, alguém com caráter condizente de quem diz amar Jesus. Essa pessoa certamente irá te ajudar nos primeiros passos de sua nova vida. Sim, a sua vida será diferente! Acredite! É real.

2- Se você JÁ É cristão: ore agora mesmo por aqueles que você conhece (ou não) que estejam vivendo sob a ditadura do consumismo e do imediatismo. Ore para que você e a Igreja de Cristo não sejam tomados pelo espírito desse mundo, mas que sejamos todos convencidos e transformados pelo Espírito Santo a uma vida que influencie positivamente a sociedade e promova os valores do Reino. Conheça a Palavra. Conheça Deus. Aprenda a viver conforme Ele quer. Posicione-se. Conserte o que está quebrado. Pague o que deve. Não se endivide mais.

Este é um chamado urgente. Faça logo, faça agora!

"Mas agora, Senhor, que hei de esperar? Minha esperança está em ti" (Salmo 39.7 NVI)

Nenhum comentário:

Postar um comentário