segunda-feira, 16 de julho de 2012

A cidade mais evangélica do mundo... E daí?

Por Alan Capriles, texto postado originalmente em seu blog.
Assista aqui ao video do Pr. Kivitz comentando este assunto.

As estatísticas apontam São Gonçalo, no município do Rio de Janeiro, como a cidade que concentra o maior número de evangélicos por metro quadrado em todo o mundo. De fato, assim que cheguei a São Gonçalo, no final da década de 90, impressionou-me a quantidade de igrejas evangélicas que se espalhavam por toda a cidade. A princípio, julguei ser algo muito positivo, mas com o passar dos anos comecei a duvidar disso.

Primeiro, porque percebo que grande parte dessas igrejas nasceram de feridas não tratadas. Geralmente, surgem como solução para desavenças não resolvidas, mascarando um perdão que jamais foi sequer cogitado.

Segundo, porque o culto na maioria das igrejas em São Gonçalo é voltado para o homem, não para Deus. Espalham-se as faixas que fazem propaganda daquilo que Deus pode fazer por você, bastando para isso participar da campanha, ou da corrente.

Terceiro, porque as igrejas por aqui estão disputando os membros, tal como as lojas disputam a clientela. Ou ainda pior do que isso! Há alguns anos, por exemplo, saíram de nossa igreja mais de vinte membros de uma só vez, que foram todos recebidos por outra igreja próxima, sem exigência alguma de carta, ou coisa parecida. E, em poucos dias já estavam sendo nomeados para algum cargo, com título e tudo mais! Isso é muito comum acontecer por aqui.

Quarto, porque as igrejas de São Gonçalo parecem existir mais para o entretenimento do que para a edificação de seus membros. Nunca vi tanto ativismo religioso como nessa cidade. São eventos e mais eventos: de congressos e chás, a festivais e arraiais. Os membros ficam tão sobrecarregados com ensaios e demais preparativos, que mal sobra tempo para a família, para os amigos e, pior ainda, não há tempo para Deus!

Quinto, porque parece não haver mais ética cristã por aqui. Por incrível que pareça, tornou-se comum em São Gonçalo encontrarmos uma igreja em frente de outra, ou até mesmo ao lado! E não pensem vocês que seus líderes estão preocupados se o volume do som interfere no culto da outra igreja. É guerra mesmo!

Sexto, porque nunca vi tanta meninice espiritual como em São Gonçalo. A maioria dos crentes daqui vive correndo atrás da última novidade gospel, do novo “mover do espírito”, do “revelamento” e da “profetada”. Para esses, a pregação só é boa se, aos gritos, o pregador os iludir com promessas de sucesso e riquezas. São cada vez mais raras as mensagens que tratam de arrependimento, conserto, da eficácia da cruz e do ser uma nova criatura em Cristo Jesus.

E sétimo, porque apesar das igrejas evangélicas se multiplicarem por aqui, a ponto de São Gonçalo ser apontada como a cidade com o maior número de evangélicos por metro quadrado no mundo, que diferença isso trouxe para essa sociedade? Pelo menos, desde que moro aqui, não vi nenhuma diferença.

Muito pelo contrário, a violência só tem aumentado nesta cidade. E continua o descaso dos políticos daqui para com o cidadão e do próprio cidadão para com o seu próximo. As ruas estão mais imundas do que nunca, não apenas porque a coleta de lixo é ineficaz, mas porque os próprios moradores de São Gonçalo não pensam duas vezes antes de sujar as ruas de sua própria cidade. E, enquanto os evangélicos de São Gonçalo se divertem, brincando de igreja, os bares, boates e motéis continuam se multiplicando por aqui. Aliás, pra quem não sabe, apesar de ser o segundo maior município do seu Estado, São Gonçalo não tem hotéis, nem sequer um, apenas motéis, e aos montes! Preciso dizer mais alguma coisa?

Mas, apesar de toda essa triste constatação, preciso confessar que tenho verdadeiro amor pelo povo desta cidade. Amo principalmente os evangélicos de São Gonçalo. Vejo que são pessoas simples, sinceras e sedentas de Deus. Mais do que isso, são pessoas inocentes, beirando a ingenuidade, razão pela qual se deixam enganar pelos comerciantes da fé.

Após pregar por mais de dez anos nessa cidade, em inúmeras igrejas, cheguei à triste conclusão de que grande parte dos evangélicos de São Gonçalo é analfabeta de Bíblia, tornando-se presa fácil para os espertalhões. A maioria conhece apenas o que lhes é pregado dos púlpitos, ou ensinado pelas revistas da escola bíblica dominical. Muitos crentes daqui nunca leram sequer os evangelhos, muito menos todo o Novo Testamento. Por isso são tão facilmente enganados, ou estão enganando sem o saber.

O fato é que ser cristão pouco ou nada tem haver com fazer parte de uma igreja evangélica. O que importa é converter-se a Jesus Cristo, e não a uma denominação. Se realmente todos os evangélicos de São Gonçalo fossem convertidos a Cristo, veríamos um enorme impacto positivo na sociedade. Isso ocorreria naturalmente, pelo simples fato de que um verdadeiro cristão não se conforma com este mundo, mas se torna um agente de transformação social, trazendo a realidade do reino de Deus para a Terra, por meio do senhorio de Cristo. Ora, se a maioria dos habitantes de São Gonçalo é mesmo cristã, onde estão os sinais do reino de Deus nesta cidade?

Sendo assim, sinto-me como missionário em São Gonçalo, cidade que defino como uma babilônia gospel. É assim que me sinto aqui, de todo meu coração. Não digo isso para fazer graça. Isso não é uma brincadeira, é algo muito sério. O povo dessa cidade necessita urgentemente do evangelho da graça de Deus, a começar pelos próprios evangélicos.

De fato, quem prega um evangelho puro e simples nessa cidade, só pode estar mesmo em missão. Talvez, na mais dura de todas as missões: a de evangelizar evangélicos, sendo incompreendido e perseguido por seus próprios irmãos.

Conto com sua ajuda em oração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário