domingo, 19 de fevereiro de 2012

Influência e Omissão / Evangelho, Força e Realização II

Continuação do artigo de Ronaldo, do blog Lágrimas por Tua Causa

Parte 2

Evangelho / Força

Como é interessante observar que o evangelho salva um pecador e o torna agente ativo, influenciador e responsável pela terra. Em nenhum momento Deus escolhe pessoas simplesmente para que elas se tornem omissas, inoperantes, inerce e desfrutem apenas de forma egoista sua libertação, e consigam viver sem se preocupar com o restante do mundo.

Em Atos encontramos a soberana escolha de Deus e ao mesmo tempo, a força que os levava na propagação do evangelho (At.13:47,48 –“ Porque o Senhor assim no-lo determinou: Eu te constituí para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até aos confins da terra.48 Os gentios, ouvindo isto, regozijavam-se e glorificavam a palavra do Senhor, e creram todos os que haviam sido destinados para a vida eterna”).

O homem natural permanece em um vida voltada aos seus próprios desejos, todos seus planos e objetivos irão sempre girar em torno de si; o evangelho concede ao homem natural total arrependimento dos seus pecados (At.3:19), quebrando sua mentalidade neutra diante de uma sociedade, pois começa a ter amor pela causa de Deus, desejando ser enviado (Isaías.6:5-8, “Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos!6 Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; 7 com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os teus lábios; a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado.8 Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim”).

Frase: “O que transformou esses homens muito simples (que eram tão covardes que não ousavam sequer se aproximar demais da cruz para não se envolverem) em heróis que não se detinham por nada? Uma mentira? Alucinação? Uma assombração? Ou alguém fazendo aquilo que dissera que faria: voltar do mundo dos mortos?” (J.B.Phillips).

Prosperidade individual (ganância camuflada)

Nosso evangelho atual foi bombardeado com a teologia da prosperidade e um dos fatores que mais lhe deram força, para que se propagasse e invadisse nossas igrejas; foi o crescente desequilibrio do egoismo, sustentato pelo individualismo. As pessoas desse século conseguem frequentar Igrejas, dar seu dizimo, fazer campanhas pelo simples fato interesseiro em serem abençoadas. E serão abençoadas, mas não pela influência externa de um Criador que abençoa na base da troca, mas que estabeleceu uma ordem na criação, a lei da semeadura (2Cor.9:6). Aquele que progride no trabalho, obviamente será recompensado pelo seu esforço e aquele que não se esforça, terá a consequencia da sua preguiça.

Todo o conselho de Salomão irá mostrar sobre o esforço de pessoas que conquistam a terra para dela enriquecer (Pvb.6/Ecl.9). E algo importante que precisa ser compreendido é o fato do enriquecimento estar aberto para todos os moradores da terra, tanto justos como impios. Mas a compreensão que todos nós precisamos ter é; tudo foi dado por Ele, todas as coisas que conquistamos, foram entregues por Ele. A soberania de Deus está no controle de todas as coisas, tanto justos como injustos, estão debaixo dessa força (Hb.1:3).

O evangelho vem nos mostrar que aquilo que possuimos (bens, profissão, status, posição, governo) foi entregue por Ele (Jo.19:11) e ao compreendermos, teremos entendimento que tudo o que temos, servirá para aquilo que Ele deseja realizar na proclamação do evangelho.

A Corajosa Ester

Observe um exemplo maravilhoso no Antigo Testamento; é a história de uma moça chamada Ester. Sabemos que essa jovem passa de apenas uma jovem qualquer para entrar no lugar da Rainha Vasti. Que soberania esplendida sobre a vida de Ester. Era pobre e agora está vivendo como Rainha em um dos reinos mais poderosos que havia na terra. Mas houve um problema, um homem chamado Hamã trama destruir através do Império dos Persa os judeus (povo da nova Rainha Ester).

Ester poderia não se importar, poderia tentar de alguma forma salvar apenas sua família, ou, fingir que não estava ouvindo aquela noticia de destruição, porque se intrometesse, lhe custaria sua vida e seu conforto, mas vemos uma postura diferente; (4:13-17, “Mordecai mandou o seguinte recado para ela: Não pense que, por morar no palácio, só você, entre todos os judeus, escapará da morte. Se você ficar calada numa situação como esta, do Céu virão socorro e ajuda para os judeus, e eles serão salvos; porém você morrerá, e a família do seu pai desaparecerá. Mas quem sabe? Talvez você tenha sido feita rainha justamente para ajudar numa situação como esta! Ester enviou a Mordecai a seguinte resposta: Vá e reuna todos os judeus que estiverem em Susã, e todos vocês jejuem e orem por mim. Durante três dias não comam nem bebam nada, nem de dia nem de noite. Eu e as minhas empregadas também jejuaremos. Depois irei falar com o rei, mesmo sendo contra a lei; e, se eu tiver de morrer por causa disso, eu morrerei”).

A individualidade que opera no egoísmo nunca fará que um homem perca o que possui (valores, status, bens) para salvar outros; pois sua visão de vida está voltada apenas no aspecto de sempre levar vantagens e nunca sofrer ou ser injustiçado.

Existe um filme chamado Código de honra, em que conta a história de uma enfermeira que contrai o vírus da AIDS por casa de um descuido na aplicação de uma injeção no paciente. O filme mostra dois advogados lutando contra um sistema injusto que mantém o monopólio de injeções nos hospitais. Os dois advogados lutam para implantar um novo modelo se seringa que é mais seguro para os profissionais. A história que é real chega no auge quando os dois advogados estão sendo colocados na parede, porque para continuarem a luta contra uma grande empresa que monopoliza o mercado das seringas, eles precisam se sacrificar mais; é nesse momento que os dois se chocam, porque um deles está preocupado com seu bem estar e o outro não. E uma das frases mais impressionantes do filme é quando um olha para os olhos do outro e diz: - “Eu não me importo em perder o que possuo por uma causa justa”.

Os heróis que passaram na história, que marcaram seu tempo, sempre pensaram em primeiro lugar numa causa e nunca se deixaram dominar pelo individualismo egoísta.

Frase: "Deus não escolhe covardes destituídos de firmeza para pôr sua glória no rosto deles. Temos muitos homens feitos de açúcar, nos nossos dias, que se desfazem na corrente da opinião popular; mas esses homens nunca subirão ao monte do Senhor, nem permanecerão em seu santo lugar, nem usarão os símbolos de sua glória" (Charles H. Spurgeon).

O que você está vendo? Ossos? Eu vejo um Exército.

Uma das ferramentas que recebemos através da revolução do pensamento que podemos chamar de pensamento livre, ou iluminismo; encontramos ao nosso redor uma grande diversidade de opiniões sobre inúmeras questões do dia a dia. A cada acontecimento, irá haver contestações, artigos, teses, ilustrações e depois, livros e mais livros.

Todo homem deste século, tem uma opinião sobre qualquer assunto da vida, mesmo sendo uma opinião totalmente sem fundamento, ele a mantém viva e influencia outros. Então quando você chegar para qualquer pessoa neste tempo irá notar uma idéia sobre qualquer situação presente.

Observe esse texto: Ez.37:1,2 –“ Veio sobre mim a mão do SENHOR; ele me levou pelo Espírito do SENHOR e me deixou no meio de um vale que estava cheio de ossos, 2 e me fez andar ao redor deles; eram mui numerosos na superfície do vale e estavam sequíssimos”. Deus levou Ezequiel para a real situação da nação; um ambiente sem vida, sem a gloriosa presença de Deus, a morte estava imperando naquela situação.

O cristão atual está sendo levado pelo mesmo Espírito para ver uma realidade morta na sociedade ou na Igreja, e o próprio Espírito está nos perguntando; pode haver vida novamente nesse ambiente que está morto? (37:3 –“ Então, me perguntou: Filho do homem, acaso, poderão reviver estes ossos?...). Muitos sendo levados por uma visão individualista irão responder que não, criarão uma tese, terão explicações e desculpas o suficiente para não desejarem ser responsáveis por aquela situação.

Pense: o que Deus está mostrando para voce? Em filmes, em conversas, em documentarios, em novelas, em shows, passeios, férias e nas Igrejas? Qual realidade você está vendo? Fome, pessoas secas, sem paixão, doentes espiritualmentes, mortas, aprisionadas em vicios, na religião, no pecado; sociedades fálidas, governos corruptos, países aprisionados, sexo, droga, pedofilia, abusos, estupros, miséria? O que você está vendo na Igreja? Jovens que trocaram o Senhor por prazer, homens que amam mais o dinheiro do que a Deus, mulheres que gastam mais tempo com a beleza do que com a familia, crianças sem pais, divórcio, pecado, familias sem valor, escandalos e uma Igreja que consegue fazer um culto ritualistico há anos, sem paixão pelo Amado?

Então Deus lhe pergunta: Esses ossos podem viver? Esse ambiente pode receber vida novamente? O que você consegue ver para poder responder? Apenas ossos? Ou, consegue responder como o profeta: - “Tu o sabes...”

Enquanto alguns estão vendo apenas ossos, outros estão vendo a vida através da Palavra de Deus sendo levantado um grande exército. Porque há esperança em Deus (Ez.37:9-10, “ Então, ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. 10 Profetizei como ele me ordenara, e o espírito entrou neles, e viveram e se puseram em pé, um exército sobremodo numeroso”.

“A maior vergonha de nossos dias é que a santidade que ensinamos é anulada pela impiedade de nosso modo de viver” (Leonard Ravenhil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário