sexta-feira, 8 de abril de 2011

Dias proféticos: a conversão da família

PARTE 4

Luciano Motta

Uma das ênfases na mensagem de João Batista era clara: fazer voltar o coração dos pais a seus filhos (Lucas 1.17). Portanto, a preparação da volta de Jesus e do estabelecimento de Seu Reino passa necessariamente pela conversão dos pais aos filhos e dos filhos aos pais. Isso é a conversão da família.

Somos uma geração de lares combalidos, fragmentados. Pergunte, em qualquer sala de aula, quantos estudantes tem pai e mãe ainda casados. Não será surpresa alguma ver bem poucas mãos levantadas. Mas uma pergunta relevante não tem sido feita: Dentre os casamentos ainda firmados, quantos pais, mães e filhos são verdadeiramente felizes e realizados, sendo Cristo o centro de suas vidas?

Ouvimos com facilidade a respeito de "comunhão" na igreja, mas a realidade dos lares e dos relacionamentos que compõem as congregações é igual ou até pior do que o mundo: brigas, divisões, partidarismos, falsidade... Existem aos montes igrejas que se auto-intitulam "uma família", mas são tantos filhos que não suportam seus pais "santos" na igreja e vazios da vida de Deus em casa... Multiplicam-se "ministérios" pomposos e aparentemente bem sucedidos, com CDs gravados, sites e programas na TV, que propagam a bênção, a prosperidade, mas muitos de seus ministros/pastores/cantores/líderes maqueiam casamentos fracassados, famílias destruídas...

A família é profética. À luz de Efésios 5 o relacionamento entre marido e mulher simboliza o relacionamento entre Cristo e Sua Igreja. Os filhos representam os muitos frutos dessa união santa. Novamente aquela pergunta que não tem sido feita: Nossas famílias tem sido profecias vivas a respeito de Cristo e Sua Noiva, a igreja?

Converter, no dicionário, significa "mudar, transformar, transmudar uma coisa em outra". Esse é o plano de Deus desde o princípio para cada um de nós: substituir nossa natureza corrompida pelo pecado por uma nova, à imagem e semelhança de Cristo. Também no âmbito familiar, Deus deseja transformar pais e filhos desconectados uns dos outros, egoístas, presunçosos, em uma união de gerações que promova o avanço de Seu Reino e o cumprimento de Sua Palavra.

Quantos maridos amam suas esposas e se entregam por elas como Cristo fez e permanece fazendo com a Sua Igreja? Quantas esposas são submissas aos seus maridos, cooperando com eles, como a igreja deve ser com relação a Cristo? Quantos filhos honram e confiam em seus pais plenamente assim como quantos pais podem ser qualificados hoje como homens e mulheres de integridade e referência para seus filhos?

A conversão da família produzirá a transformação da sociedade. 1 João 2.14-14 fala de pais, filhos e jovens: "Filhinhos, eu vos escrevo porque os vossos pecados são perdoados por amor do seu nome. Pais, eu vos escrevo porque conheceis aquele que é desde o princípio. Jovens, eu vos escrevo porque vencestes o Maligno. Crianças, eu vos escrevi porque conheceis o Pai. Pais, eu vos escrevi porque conheceis aquele que é desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi porque sois fortes, e a Palavra de Deus permanece em vós, e já vencestes o Maligno".

Charles E. Newbold Jr. em "The Crucified Ones" (p.36) comenta sobre esse texto:
Pais são centrados nos filhos. Eles cuidam dos filhos. Filhos são centrados no pai. Eles se importam com as coisas do pai. Eles querem cumprir a vontade dele. Mas jovens são tipicamente centrados em si mesmos. E assim é no Reino de Deus.
Aqueles que permanecem no átrio são jovens. Aqueles que vão para o santo lugar são filhos. E aqueles que alcançam um domínio de maturidade no Santo dos santos assumem a natureza do Pai. Eles são Abraãos.
Note como a sociedade atual é voltada para a juventude e a adolescência - na linguagem, no modo de vestir e de vender, no comportamento. E não é coincidência que esta mesma sociedade seja tão egoísta, tão individualista, tão centrada no "eu". Não é por acaso que faltem homens e mulheres de verdade, maduros, constantes, íntegros.

Por Sua graça, Deus endereça esta mensagem a todos: pais, filhos e jovens. O apóstolo João ressalta em sua epístola os pontos fortes de cada uma dessas figuras: Um pai que conhece Deus-Pai é exemplo, é mentor, é sacerdote da sua casa. Um filho, por mais criança que seja, sempre está preocupado em obedecer e seguir o seu pai. Todo filho conhece o pai e o tem como referência. E finalmente os jovens: fortes, vencedores, porém tendem ao egoísmo se desconectados da paternidade.

Se a família tem sido perseguida com violência, a igreja também deveria ser violenta em protegê-la. Jesus falou a respeito disso: "Desde os dias de João Batista até agora, o reino do céu é tomado à força, e os que se utilizam da força apoderam-se dele" (Mateus 11.12). Esse Reino é constituído de famílias segundo o coração de Deus.

São imprescindíveis, portanto, ações de defesa e fortalecimento dos lares, não com armas carnais, mas espirituais: Homens mais preocupados com seu sacerdócio em casa do que com um púlpito ou uma plataforma; esposas que santificam seus lares cooperando com o sacerdócio de seus maridos, submissas, amáveis; filhos expostos diariamente ao Evangelho do Reino pelo testemunho de seus pais, pela vida de Deus que carregam em si.

Esta é uma questão-chave da igreja nesses dias proféticos. Enquanto a maior parte dos crentes está perdida, embevecida por um "outro evangelho", enquanto as trevam avançam sobre a sociedade, Deus está levantando famílias proféticas, que serão testemunhas dos valores do Reino. Pais e filhos que hão de pregar o verdadeiro Evangelho de Cristo com suas vidas e relacionamentos, indo além de discursos e aparências.

A Palavra de Deus é viva e eficaz. Que estas Escrituras movam nossos corações e mentes a atitudes e transformações em nossos relacionamentos:

Efésios 5.22-24:
Família:
Portanto, sejam imitadores de Deus, como filhos amados, e vivam em amor, como também Cristo nos amou e se entregou por nós como oferta e sacrifício de aroma agradável a Deus.
Entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual nem de qualquer espécie de impureza nem de cobiça; pois estas coisas não são próprias para os santos. Não haja obscenidade nem conversas tolas nem gracejos imorais, que são inconvenientes, mas, ao invés disso, ação de graças.
Porque vocês podem estar certos disto: nenhum imoral nem impuro nem ganancioso, que é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus.
Ninguém os engane com palavras tolas, pois é por causa dessas coisas que a ira de Deus vem sobre os que vivem na desobediência. Portanto, não participem com eles dessas coisas.
Porque outrora vocês eram trevas, mas agora são luz no Senhor. Vivam como filhos da luz, pois o fruto da luz consiste em toda bondade, justiça e verdade; e aprendam a discernir o que é agradável ao Senhor. Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz. Porque aquilo que eles fazem em oculto, até mencionar é vergonhoso. Mas, tudo o que é exposto pela luz torna-se visível, pois a luz torna visíveis todas as coisas. Por isso é que foi dito: "Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e Cristo resplandecerá sobre ti".
Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade do Senhor. Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.
Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo.

Esposas:
sujeitem-se a seus maridos, como ao Senhor, pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador. Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos.

Maridos:
amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. Da mesma forma, os maridos devem amar as suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo.
Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja, pois somos membros do seu corpo. "Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne". Este é um mistério profundo; refiro-me, porém, a Cristo e à igreja.
Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito.

Efésios 6.1-4:
Filhos:
obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo. "Honra teu pai e tua mãe", este é o primeiro mandamento com promessa: "para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra".

Pais:
não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor.

Colossenses 3.1-21:
Família:
Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas.
Pois vocês morreram, e agora a sua vida está escondida com Cristo em Deus.
Quando Cristo, que é a sua vida, for manifestado, então vocês também serão manifestados com ele em glória.
Assim, façam morrer tudo o que pertence à natureza terrena de vocês: imoralidade sexual, impureza, paixão, desejos maus e a ganância, que é idolatria.
É por causa dessas coisas que vem a ira de Deus sobre os que vivem na desobediência,
as quais vocês praticaram no passado, quando costumavam viver nelas.
Mas agora, abandonem todas estas coisas: ira, indignação, maldade, maledicência e linguagem indecente no falar. Não mintam uns aos outros, visto que vocês já se despiram do velho homem com suas práticas e se revestiram do novo, o qual está sendo renovado em conhecimento, à imagem do seu Criador. Nessa nova vida já não há diferença entre grego e judeu, circunciso e incircunciso, bárbaro e cita, escravo e livre, mas Cristo é tudo e está em todos.
Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou. Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito. Que a paz de Cristo seja o juiz em seus corações, visto que vocês foram chamados a viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos. Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria, e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seus corações. Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio dele graças a Deus Pai.

Esposas:
sujeitem-se a seus maridos, como convém a quem está no Senhor.

Maridos:
amem suas mulheres e não as tratem com amargura.

Filhos:
obedeçam a seus pais em tudo, pois isso agrada ao Senhor.

Pais:
não irritem seus filhos, para que eles não se desanimem.

Provérbios 4:
Filhos:
Ouçam, meus filhos, a instrução de um pai; estejam atentos, e obterão discernimento. O ensino que lhes ofereço é bom; por isso não abandonem a minha instrução.
Quando eu era menino, ainda pequeno, em companhia de meu pai, um filho muito especial para minha mãe, ele me ensinava e me dizia: "Apegue-se às minhas palavras de todo o coração; obedeça aos meus mandamentos, e você terá vida. Procure obter sabedoria e entendimento; não se esqueça das minhas palavras nem delas se afaste. Não abandone a sabedoria, e ela o protegerá; ame-a, e ela cuidará de você. O conselho da sabedoria é: procure obter sabedoria; use tudo que você possui para adquirir entendimento. Dedique alta estima à sabedoria, e ela o exaltará; abrace-a, e ela o honrará. Ela porá um belo diadema sobre a sua cabeça e lhe dará de presente uma coroa de esplendor".
Ouça, meu filho, e aceite o que digo, e você terá vida longa.
Eu o conduzi pelo caminho da sabedoria e o encaminhei por veredas retas. Assim, quando você por elas seguir, não encontrará obstáculos; quando correr, não tropeçará. Apegue-se à instrução, não a abandone; guarde-a bem, pois dela depende a sua vida. Não siga pela vereda dos ímpios nem ande no caminho dos maus. Evite-o, não passe por ele; afaste-se e não se detenha. Pois eles não conseguem dormir enquanto não fazem o mal; perdem o sono se não causarem a ruína de alguém. Pois eles se alimentam de maldade, e se embriagam de violência.
A vereda do justo é como a luz da alvorada, que brilha cada vez mais até à plena claridade do dia. Mas o caminho dos ímpios é como densas trevas; nem sequer sabem em que tropeçam.
Meu filho, escute o que lhe digo; preste atenção às minhas palavras. Nunca as perca de vista; guarde-as no fundo do coração, pois são vida para quem as encontra e saúde para todo o seu ser. Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida.
Afaste da sua boca as palavras perversas; fique longe dos seus lábios a maldade. Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros. Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade.

Que nossos corações se convertam ao Senhor por meio dessas palavras! Que nossas famílias se convertam ao Senhor e sejam testemunho da glória de Deus, agentes de transformação da sociedade e referenciais para essa geração perdida!

Nota final: Provavelmente irão se repetir as cenas chocantes noticiadas nesta semana, da morte de crianças inocentes em uma escola no Rio de Janeiro pelas ação de um jovem sem Deus, um filho sem pai - mais um entre tantos! Os dias do fim são marcados por agravamento das tensões, aumento da maldade e esfriamento do amor. Contudo, há uma igreja sendo levantada por Deus, no poder e na unção de João Batista, que se utilizará da força para amar, valorizar e proteger as famílias - uma igreja de lares convertidos, pais e filhos centrados em Cristo. Que venha o Teu Reino!

Leia também: "Uma palavra para pais e filhos" - Parte I e Parte II

Nenhum comentário:

Postar um comentário