quarta-feira, 19 de junho de 2013

Manifestações no Brasil - uma reflexão

Não sou a favor da violência, definitivamente não, mas me pergunto: será mesmo possível uma revolução nesse país do modo politicamente correto que os governos e a mídia apregoam? Será que alguma coisa muda no Brasil sem perdas e danos?

Não me refiro aqui a vândalos e oportunistas que aproveitam os tumultos para cometerem crimes. Falo daqueles que se cansaram das injustiças e dos desmandos - será que estes, depois de anos e anos de desigualdades, conseguirão protestar de forma plenamente pacífica?

Eu me lembro do Senhor Jesus virando a mesa dos cambistas no templo - um lugar que deveria ser uma casa de oração havia se transformado em covil de ladrões (Mateus 21.12-13). Também me lembro do Senhor Jesus e Seus olhos como chama de fogo, rasgando os céus para estabelecer definitivamente o Seu Reino na Terra: "E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso" (Apocalipse 19.15). Nesses dois momentos, Jesus protesta contra o que está errado, tomado por um zelo assustadoramente divino. Talvez não sejam "imagens cristãs" as quais estamos acostumados, mas são legítimas, bíblicas.

Creio que uma revolução só é possível com ação e reação, amor e zelo por justiça. E isso começa dentro da gente, corrigindo nossos maus hábitos, revendo nossos "jeitinhos", quebrando os males que nos constituem enquanto brasileiros. Vamos às ruas, vamos gritar e até "virar algumas mesas" de injustiças sociais. Só não podemos ignorar as injustiças que carregamos dentro de nós mesmos, para sermos coerentes com nossos protestos e declarações de fé - até porque todo protesto é motivado por uma crença, uma ética interior, mesmo que você não se considere cristão.

As manifestações irão cessar em breve. Nossos atos de justiça é que permanecerão, e são eles que produzirão as mudanças que tanto queremos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário