segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Oficinas - Conferência A Igreja como Casa de Oração



Sínteses das palavras das oficinas de sábado à tarde (dia 07/09):

DONS E PROFECIA
Oficina – Fabio Coelho

Jesus chamou seus seguidores, seus discípulos = aprendizes (talmidim). Os rabinos escolhiam meninos com até 13 anos, os melhores dos melhores, para serem seus discípulos. Mas Jesus escolheu aqueles que não serviram para os rabinos da religião.

Deus está nos aperfeiçoando – Filip 1.6
Paulo, no final da carreira, afirmou estar prosseguindo em conhecer o Senhor – Filip 3

Como os discípulos aprendiam? Fazendo!

Atos 1.8 – poder para testemunhar – Testemunho = Mártir, alguém disposto a morrer por aquilo que viu e ouviu. Os discípulos precisavam do poder do Espírito para poderem dar testemunho e morrerem pela causa do Evangelho.

Profecia tem a ver com revelar o coração do Pai na terra. Para isso, precisamos ouvir e ver. Em Atos 2 os discípulos ouviram o som como de um vento impetuoso, e viram labaredas de fogo. Então, começaram a falar, a dar testemunho a respeito do que estavam ouvindo e vendo. Isso é revelação.

Jesus aparece para João na ilha de Patmos e entrega cartas às igrejas da Ásia – ao término de cada carta: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz à igreja”. Isso foi necessário porque aqueles crentes não estavam mais ouvindo.

Jeremias 23.18 – “Quem esteve no conselho do Senhor... e viu e ouviu... escutou, e atendeu?” A Palavra não é um som, mas uma pessoa: o Filho. Conselho denota reunião, deliberação.

Apoc 1 = A voz do Senhor é como um som de muitas águas = Deus fala de forma contínua, às vezes forte, às vezes mais suave. Hoje Ele está falando, mas não estamos parando para ouvi-Lo. Quando começamos a dar atenção à palavra, começamos a ver.

Lugar secreto = fechar a porta e se concentrar Nele, na Sua voz. Então, teremos revelação.

Efésios 1 = sabedoria e revelação (remoção de véu, para vermos claramente).

Apoc 4 = a porta está aberta = Jesus é o acesso! Ele fala conosco por meio de visões, voz interior, sonhos...

Sua voz é constante, contínua. A questão é se estamos ouvindo, se estamos entrando na sala do Seu Conselho, se deliberamos a respeito do que Ele está fazendo e está para fazer nas cidades. E mais do que as impressões sobre as palavras que ouvimos Dele, estamos correspondendo ao que Ele está nos revelando?

O Filho só fazia o que via e ouvia o Pai fazer (João 5). Ele entrava no Conselho do Senhor antes de começar o dia. Jesus só agia por revelação.

(no fim, depois de um tempo em oração, diversas pessoas tiveram visões, que convergiram para uma só palavra de Deus a todos nós e à cidade)

. . . . .

ORAÇÃO HARPA E TAÇA
Oficina – Webb Venga

Deus está aumentando em toda a terra a oração associada com a música.

Uma casa de oração não é algo apartado da igreja, mas uma maneira da igreja funcionar. Não é uma revolução da igreja, não é uma moda, uma nova visão, um upgrade da igreja.

Na história, a igreja muitas vezes confundiu-se com as novas visões, as visitações do Espírito.

O templo era uma casa de sacrifícios, de leis, mas no tempo de Jesus não era assim. As pessoas iam buscar a Deus, mas paravam em barraquinhas para pagar e negociar seus sacrifícios. Casa de oração é uma casa de relacionamento, não de religiosidade, nem de pompas por causa de cargos ou funções. Discipulado não se colocar na frente de Deus, ou entre Deus e as pessoas, mas colocá-las diante Dele.

Apoc 4.8 – ao redor do trono existem 24 anciãos e 4 seres viventes que contemplam a glória de Deus dia e noite, e declaram: Santo, Santo, Santo... E não se cansam de cantar isso. Por que eles fazem isso? Eles nunca tiveram uma ferida curada, nunca passaram por dificuldades, nunca pediram por avivamento, nunca precisaram pedir ajuda ao Espírito Santo – Eles foram criados para adorar a Deus, como nós, na terra.

João 17 – Jesus disse que queria seus discípulos onde Ele estivesse.
Davi pediu uma só coisa: contemplar a beleza do Senhor.

Deus é real. Por que não existe a contemplação da beleza do Senhor hoje?

2 Crônicas 29.25 – Ezequias seguiu a ordem de Davi: colocou cantores, músicos, profetas, para declararem a grandeza, a santidade de Deus. Essa ordem veio de Deus.

Seguiram a ordem de Davi: Salomão, Jeosafá, Jeoiada (2 Cr 23.16-18), Ezequias (2 Cr 29.25-27), Josias (2 Cr 35.3-15), Zorobabel, Esdras e Neemias (Esdras 3.10, Neemias 12.24-47). Esses avivamentos ocorreram depois de reestabelecida a ordem.

Hoje é imprescindível estabelecer cantores e profetas que contemplem a Deus dia e noite.

Amós – restaurarei o tabernáculo caído de Davi, para que os gentios (as nações) sejam salvos. Ainda não somos a plenitude dessa restauração, mas Deus está gerando isso. Atualmente existem congregações no Brasil e no mundo inteiro adorando dia e noite ao Senhor, proclamando a Sua beleza. Deus está sendo exaltado em toda parte como nunca antes na história, em proporções globais, e isso nunca irá diminuir, só irá aumentar!

A Noiva está se preparando... Ela irá bradar: Vem! E junto com o Espírito: Vem! Então o Noivo virá!
Apoc 5.8 – harpas e taças – o modelo utilizado na casa de oração não é o cumprimento desse texto, mas um nome baseado nesse verso. Por que é preciso um modelo? Porque a reunião dia e noite precisa ser sustentável. É uma maneira organizacional para que músicos entrem, músicos saiam, intercessores falem e cantores se calem, e vice-versa. Permite que se flua espontaneamente dentro de uma ordem.

(no fim, um tempo prático uniu orações e música)

Nenhum comentário:

Postar um comentário